Search
Close this search box.
RIO BRANCO

BRASIL

Conquista da Saúde Pública: Brasil próximo de recertificação livre de sarampo

Publicado em

O Brasil está próximo de retomar a certificação de país livre de sarampo, após completar dois anos sem casos autóctones, ou seja, com transmissão em território nacional, da doença. O Ministério da Saúde divulgou essa informação, destacando que a certificação de país livre do sarampo foi conquistada em 2016, mas foi temporariamente interrompida devido ao intenso fluxo migratório de países vizinhos, especialmente da Venezuela, e às baixas coberturas vacinais.

Desde 2019, o Brasil vem registrando uma queda no número de casos de sarampo, passando de 20.901 casos em 2019 para apenas 41 casos em 2022. O último caso confirmado foi em 5 de junho de 2022, no Amapá. O diretor do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Eder Gatti, ressaltou a importância de alcançar coberturas vacinais de pelo menos 95% de forma homogênea para proteger a população e prevenir a reintrodução da doença no país.

Recentemente, o Brasil recebeu a visita da Comissão Regional de Monitoramento e Reverificação da Eliminação do Sarampo, Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita, com o objetivo de dar continuidade ao processo de recertificação do país como livre da circulação de sarampo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou sobre o aumento de casos de sarampo na Europa, com mais de 58 mil infecções em 41 países ao longo de 2023.

Continua depois da publicidade

A vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola, está disponível nas unidades básicas de saúde e faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. O esquema vacinal inclui duas doses para pessoas de 12 meses até 29 anos e uma dose para adultos de 30 a 59 anos. A cobertura da primeira dose da tríplice viral aumentou de 80,7% em 2022 para 87% em 2023, segundo o Ministério da Saúde, indicando um avanço na imunização da população contra essas doenças infecciosas.

Esses esforços demonstram a importância da vacinação e da vigilância epidemiológica para manter o Brasil livre do sarampo e proteger a saúde da população.

Propaganda
Advertisement