Search
Close this search box.
RIO BRANCO

GERAL

AVISO GERAL HOJE (21/05) para quem tem conta no Bolsa Família com CPF final 7,1,4,0,2,3,8,5,6,9 e 2

Publicado em

O Bolsa Família, um dos programas sociais mais importantes do Brasil, tem sido alvo de muitos questionamentos e debates. Uma das principais dúvidas que surgem é sobre quantos membros de uma mesma família podem receber o benefício.

A saber, o Bolsa Família é um programa de transferência de renda do governo federal que visa apoiar famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica.

Relançado durante o governo Lula, o programa estabelece um valor base de R$ 600 por família inscrita no Cadastro Único (CadÚnico). Essa plataforma é essencial para determinar quais cidadãos atendem aos critérios dos programas sociais.

Continua depois da publicidade

Regras do Programa uma única família, um único Benefício

Uma das regras fundamentais do Bolsa Família é que cada núcleo familiar tem direito a apenas uma parcela do benefício. Isso significa que não é permitido cadastrar mais de uma pessoa do mesmo grupo familiar para receber múltiplos auxílios, pois essa prática configura uma irregularidade.

Para garantir a integridade do programa, o governo iniciou uma revisão detalhada dos cadastros do Bolsa Família. Essa análise cruzou dados do CadÚnico com outras bases governamentais, identificando e excluindo 1,7 milhão de registros de famílias unipessoais (compostas por uma única pessoa) devido a irregularidades ou duplicidades.

Os beneficiários unipessoais, ou seja, aqueles que recebem o Bolsa Família individualmente, não podem compartilhar o mesmo endereço com outras pessoas, incluindo parentes. Essa medida visa coibir possíveis fraudes e garantir que o auxílio seja destinado corretamente.

Novo auxílio Brasil e as mudanças nas regras

Durante o governo Bolsonaro, o Bolsa Família foi substituído pelo Auxílio Brasil, trazendo consigo algumas alterações nas regras.

Embora a prática de múltiplos membros da mesma família receberem o benefício tenha ocorrido, essa é uma irregularidade que a nova gestão está analisando e corrigindo.

Com o retorno do Bolsa Família, o valor mínimo do benefício foi estabelecido em R$ 600 por família. Além disso, a partir de março, famílias com crianças de até 6 anos receberão um adicional de R$ 150 por criança, com um limite de dois adicionais. Em junho, será introduzido um adicional de R$ 50 por integrante entre 7 e 18 anos e para mulheres gestantes.

Continua depois da publicidade

Para ser elegível ao novo Bolsa Família, a renda mensal da família deve ser de até R$ 218 por pessoa. Isso significa que a soma da renda total dividida pelo número de pessoas deve ser igual ou inferior a esse valor.

Inscrição no CadÚnico porta de entrada para o Benefício

Para receber o Bolsa Família, a família deve estar inscrita no CadÚnico. A inscrição pode ser realizada em postos de cadastramento ou de atendimento da assistência social no município. Esse registro é essencial para determinar a elegibilidade e garantir o recebimento do auxílio.

O responsável pela família recebe um cartão para sacar o dinheiro mensalmente. O cadastro também abre automaticamente uma conta digital sem custos adicionais. Famílias que recebem seu benefício pelo aplicativo Caixa Tem continuarão a receber na mesma modalidade.

Para manter o benefício, a família não pode ficar mais de 24 meses sem atualizar o cadastro. Mudanças de endereço, telefone de contato e composição familiar devem ser informadas imediatamente, sob pena de suspensão ou cancelamento do auxílio.

O Bolsa Família exige que crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos frequentem a escola regularmente. Além disso, gestantes devem realizar o acompanhamento pré-natal, e crianças até 6 anos precisam ter acompanhamento nutricional e vacinação em dia.

Consulta e acompanhamento do Benefício

A partir de 6 de fevereiro, o aplicativo do Bolsa Família estará disponível para download. O beneficiário poderá consultar a disponibilidade, a quantia e as datas de pagamento pelo novo aplicativo, facilitando o acompanhamento e a gestão do auxílio.

Por fim, o Bolsa Família é um programa social fundamental para apoiar famílias em situação de vulnerabilidade. Apesar das recentes alterações, as regras são claras: cada núcleo familiar tem direito a apenas um benefício, e o cadastro no CadÚnico é essencial para garantir o recebimento.

Com a revisão rigorosa dos cadastros e os novos acréscimos ao valor do auxílio, o Bolsa Família continua a desempenhar um papel crucial na melhoria da qualidade de vida dos brasileiros em situação de necessidade.

Propaganda
Advertisement