Search
Close this search box.
RIO BRANCO

GERAL

Grupo da farra do INSS cria mais 2 entidades e fatura R$ 24 mi por mês

Publicado em

O mesmo grupo de empresários que está por trás da Associação dos Aposentados Mutualistas para Benefícios Coletivos (Ambec), campeã da farra dos descontos de mensalidade sobre as aposentadorias pagas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), ergueu outras duas entidades nos últimos meses.

Juntos, o Centro de Estudos dos Benefícios dos Aposentados e Pensionistas (Cebap) e a União dos Aposentados e Pensionistas do Brasil (Unsbras) já faturam, por mês, R$ 24 milhões com cobranças feitas diretamente na folha de pagamento dos beneficiários. Ambas também são questionadas por descontos indevidos, sem autorização do segurado.

Como revelou o Metrópoles, a Ambec ampliou o número de filiados de forma exponencial em um ano – de 38 mil para mais 650 mil – e alavancou seu faturamento mensal com os descontos nas aposentadorias de R$ 1,8 milhão para R$ 30 milhões. A entidade acumula processos judiciais por cobranças indevidas e tem sido condenada em diversas ações.

Continua depois da publicidade

Após reportagens do Metrópoles, ela e outras entidades similares viraram alvo de investigação do INSS e da Controladoria-Geral da União (CGU), e de uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), que apontou “descontos indevidos em larga escala”. Recentemente, o Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça a suspensão de todos os acordos feitos por essas entidades com o INSS para cessar as cobranças.

Ao todo, cerca de 30 entidades habilitadas pelo INSS para cobrar mensalidade associativa têm mais de 5,5 milhões de aposentados filiados e arrecadaram, no período de um ano, mais de R$ 2 bilhões com os descontos.

Como mostrou o Metrópoles, várias dessas entidades têm ligações com empresários que vendem seguros e planos de saúde e odontológico. No caso da Ambec, a diretoria da associação é formada por pessoas da confiança do empresário Maurício Camisotti, dono do Grupo Total Health (THG), do ramo de saúde. Um cunhado, funcionárias da família e de empresas ligadas ao empresário, e um executivo fazem ou fizeram parte da diretoria estatutária da entidade. Um inquérito policial com depoimentos deles reforça essa relação.

Pai e sogra na diretoria

Documentos mostram que as outras duas entidades criadas recentemente e que já arrecadam milhões de reais, acumulando reclamações por descontos indevidos, têm relações com o grupo ligado a Camisotti. A primeira delas é a Unsbras, que, no dia 21 de setembro de 2023, firmou seu acordo de cooperação técnica com o INSS para efetuar descontos de 3% nos vencimentos de aposentados pelos próximos cinco anos.

Até aquela época, a Unsbras ficava em Belo Horizonte (MG) e tinha um aposentado mineiro como seu presidente. Sete dias depois, foi registrada em cartório uma ata na qual a diretoria da entidade renunciou e foi eleita uma nova gestão. Os novos diretores, então, passaram a ser Ademir Califoni e Maria Aparecida Policarpo. Eles são pai e sogra de Rodrigo Rosolem Califoni, que é executivo do Grupo THG e braço direito de Camisotti. A sede da entidade foi transferida de Minas Gerais para um prédio vizinho à sede da Ambec, em São Paulo.

Salto de R$ 10 milhões

Segundo dados do INSS, a Unsbras começou a faturar com os descontos nas aposentadorias em fevereiro deste ano: foram R$ 2 milhões. Em abril, antes do fim do mês, já atingiu os R$ 10 milhões mensais. No acumulado do ano, já são R$ 20 milhões arrecadados com mensalidades descontadas diretamente da folha de pagamento dos aposentados.

Continua depois da publicidade

A publicação mais antiga da Unsbras no Instagram é do dia 2 de fevereiro deste ano. A primeira feita no site da entidade é do dia 15 de março. Assim como a Ambec, a Unsbras tem data de fundação formal antiga, mas passou mais de uma década dormitando no arquivo de um cartório e foi recriada nos últimos anos.

Até a última quinta-feira (2/5), os registros do site da Unsbras estavam em nome de Ademir e da empresa Benfix, que tem Maurício Camisotti como sócio. Após questionamentos da reportagem, o registro foi mudado para a retirada do nome da Benfix e a inclusão do nome da Ambec em seu lugar. Depois, houve uma nova correção –​ desta vez, para trocar o contato da Ambec por um da própria Unsbras.

Mesmo telemarketing

Em um processo impetrado na Justiça do Trabalho de São Paulo, uma atendente de telemarketing afirmou que foi contratada para prestar serviços à empresa Rede Mais Saúde, que faz parte do Grupo Total Health, mas que, na verdade, atendia mesmo a reclamações de aposentados que se diziam filiados indevidamente à Ambec e à Unsbras.

Ela narra no processo judicial que tinha uma rotina insalubre, pois recebia duras reclamações e xingamentos de pessoas que foram associadas indevidamente a essas duas entidades. O processo foi retirado na última semana. O advogado dela disse ao Metrópoles que retirou a ação para corrigir uma questão técnica e que vai impetrá-la novamente.

Tio da esposa

A outra entidade ligada ao mesmo grupo é o Centro de Estudos Dos Benefícios dos Aposentados e Pensionistas (Cebap), presidido por Edmar Policarpo Junior, que é tio da esposa de Rosolem. Ela firmou acordo com o INSS em dezembro de 2022, mas os descontos começaram somente em junho de 2023. Eram R$ 388 mil mensais. Em abril deste ano, os descontos mensais chegaram a R$ 13,3 milhões.

O site do Cebap também está em nome da Benfix, que pertence a Camisotti. Sua primeira publicação no Instagram foi no dia 2 de fevereiro deste ano, e tinha o mesmo teor da primeira postagem da Unsbras, na mesma data: um alerta para o fevereiro roxo, uma campanha sobre doenças crônicas da terceira idade.

A reportagem ligou para o telefone 0800 do Cebap, selecionou a opção de informações sobre planos de odontologia, e uma atendente de telemarketing da Prevident atendeu: “O senhor ligou para o número errado, aqui é a Prevident. Prestamos serviços para o Cebap”, disse.

Em outra ligação, desta vez para o canal de teleatendimento médico, a reportagem foi informada por uma atendente que o serviço oferecido era da Rede Mais Saúde. Ambas as empresas, Prevident e Rede Mais Saúde, são ligadas ao Grupo Total Health, de Maurício Camisotti.

Entidades se manifestam

Metrópoles procurou a assessoria do Grupo Total Health (THG), que também responde pela Ambec, pela Unsbras e pelo Cebap.

Por meio de nota, o Grupo THG e seus executivos e funcionários afirmam “que já tomaram as providências judiciais cabíveis e estão em fase final de ingresso de medidas complementares contra as acusações infundadas que tentam de forma recorrente nos últimos meses atingir sua honra e reputação”. O grupo diz que vai aguardar “as respectivas decisões judiciais”.

“Como divulgado pela imprensa nos últimos dias, as associações de aposentados com acordo de cooperação firmados com INSS estão em processo de fiscalização e auditoria para avaliação da regularidade de suas operações e da formalização da base de filiados por órgãos oficiais. Conforme determinado pelo INSS, as novas filiações devem ser assinadas a partir de agora com sistema de biometria avançada que eleva a segurança das formalizações das filiações”, afirma a nota.

Já a Unabrasil, outro nome da Unsbras, afirma, também por meio de nota, que “apoia as medidas e está contribuindo prontamente, prestando os esclarecimentos em todos os acionamentos dos órgãos competentes”.

“Cabe informar também que já estamos em fase de desenvolvimento de nossa solução de formalização de filiação através de assinatura por biometria para seguir levando nossos benefícios a mais aposentados e expandindo nossa base de associados”, diz.

“Por fim, esclarecemos que a Unabrasil não tem qualquer interesse no envolvimento em polêmicas que não possuem relação com as demandas de órgão oficiais ou com o bem-estar de seus associados”, completa. As perguntas feitas pela reportagem sobre a relação entre empresários e empresas do Grupo THG com a Unsbras não tiveram resposta.

A Rede Mais afirmou, por sua vez, que não comenta sua relação com clientes. A Benfix disse ser uma empresa corretora de benefícios que tem “várias associações clientes com algum tipo de serviço prestado e contatamos comercialmente todas associações e sindicatos deste segmento para ofertar nossas soluções”.

A Prevident afirmou que “não há esclarecimento adicional ou de relevância, sobre o fato comum de mercado, de haver contratantes de mesmo segmento em sua base de clientes”.

Já o Cebap disse que “realiza criterioso processo de seleção de suas parcerias, que, dentre outros aspectos, avalia a especialização no segmento de atuação, a regularidade da pessoa jurídica e o histórico de excelência na prestação dos serviços propostos”.

INSS defende “critérios legais”

Procurado pelo Metrópoles, o INSS afirmou que “está acompanhando a execução dos acordos de cooperação, respeitadas as relações privadas de ambas entidades”.

“A regra legal não impõe ao INSS fazer essa verificação, bem como deixa claro os critérios que são iguais para acesso de qualquer entidade, não podendo o INSS tratar por critérios diferentes qualquer requerente, mas sim pelo critério legal”, diz o órgão federal.

Segundo o INSS, “tanto a Ambec como a Unbras prestaram, desde a celebração do acordo com o INSS, informações sobre sedes, endereços alterados e mudanças estatutárias promovidas, e o INSS está realizando o acompanhamento, assim como os órgãos de controle”.

“Já a Unbras, em 23/01/2024, informou a alteração de sede e foi realizada visita técnica em 13/04/2024, na nova sede.”

Propaganda
Advertisement