Search
Close this search box.
RIO BRANCO

GERAL

Mercado de cacau deve aumentar vendas em 30% em 2024

Publicado em

O mercado de cacau no Brasil está projetando expandir sua produção em ao menos 2 estados em 2024, segundo o Sebrae. A expectativa do setor é de que haja um crescimento de 30% ao longo do ano.

O Sebrae Nacional tem mapeado 300 pequenos e médios produtores do fruto nos estados de Rondônia, Bahia, Pará e Espírito Santo. De acordo com a entidade, observa-se uma tendência de negócios em expansão também no Distrito Federal e Goiás. Todos de agricultura familiar.

Só na Bahia, em média, a produção de cacau movimenta R$ 1,8 bilhão ao ano. Em 2023, o crescimento do setor no Estado foi de 15% em relação ao ano anterior. No Pará, são produzidas 135 mil toneladas ao ano, movimentando uma média de R$ 1 bilhão.

Continua depois da publicidade

O mercado brasileiro já exporta o fruto para a França, Alemanha e alguns países da Ásia, com destaque para o comércio e restaurantes internacionais. O analista técnico do Sebrae Victor Ferreira disse ao Poder Empreendedor que o mercado em expansão demanda transparência quanto ao processo de produção, especialmente relacionado à sustentabilidade.

“O consumidor está exigindo mais na questão de comprovação de sustentabilidade, de como é feita a produção, questões sociais e trabalhistas. É uma tendência que não tem mais volta”, explicou.

Os pequenos e médios produtores de cacau podem solicitar um selo de indicação geográfica reconhecido pelo INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial). O carimbo conferido à maioria dos pequenos e médios produtores mapeados assegura alta qualidade, reputação e transição no cultivo e manejo. Mais de 4.000 pequenos produtores têm o selo de qualidade reconhecido pelo INPI.

“A gente tem feito um trabalho para que haja uma rastreabilidade do produto, desde a produção, processamento, até a chegada ao consumidor. Assim, ele pode contar a história e a origem do seu cacau”, contou.

De acordo com o Sebrae, há um aumento da procura por chocolates especiais na Páscoa. O cenário é fruto do aumento da exigência do consumidor por produtos de qualidade, que têm preços mais altos no mercado devido às condições de cuidado a que os frutos são submetidos.

ESCASSEZ DO CACAU

Continua depois da publicidade

Eventos climáticos intensos ocorridos em Gana e na Costa do Marfim, na África, têm causado queda na produção de cacau mundial, já que ambos os países são os maiores exportadores do fruto no mundo. É este motivo que fez o preço do chocolate aumentar nas últimas semanas, segundo o Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil.

Em nota, o órgão informou que não há risco de escassez do fruto no país, mas há previsão de aumento no preço do chocolate devido à falta do cacau no mercado mundial.

O Brasil, apesar de ter sido atingido pelo El Niño em 2023 e registrado uma queda na curva de produção, não registrou grandes impactos no setor na época.

Para 2024, há previsão de aumento de faturamento do setor a partir de maio, quando a safra do fruto tem início, informou o ministério. Apesar do cenário favorável, o sucesso das produções depende das condições climáticas futuras.

Propaganda
Advertisement