Search
Close this search box.
RIO BRANCO

GERAL

Perfis no Instagram tentam unir crianças perdidas e desabrigadas às famílias no RS

Publicado em

Em meio a uma tragédia que já vitimou 90 pessoas e deixou 1,3 milhão de afetados no Rio Grande do Sul, uma iniciativa voltada para as crianças do Estado tenta ajudar nos resgates. Isso porque, com as enchentes, muitos pequenos foram encontrados sozinhos em municípios como Porto Alegre e Canoas. No Instagram, perfis passaram a divulgar fotos e informações para que os responsáveis possam encontrar os menores de idade.

Com quase 77 mil seguidores, a conta Achamos sua criança (@achamossuacrianca) tenta chamar atenção para os que se perderam dos pais em Porto Alegre e região metropolitana durante as enchentes. O intuito do perfil é concentrar as informações em um só canal e facilitar que os responsáveis encontrem os pequenos.

Para isso, o Achamos sua criança pede que cada usuário ajude na identificação das crianças que estão sem a presença dos responsáveis. “Se você encontrou uma criança sozinha, por favor, entre em contato conosco. Vamos trabalhar juntos para garantir que nenhuma criança fique desemparada”, diz o apelo publicado nas redes sociais.

Continua depois da publicidade

No perfil, a iniciativa explica que não recebe crianças em abrigos. Eles apenas divulgam informações como foto, nome, cidade e local onde foi encontrada até que o menor de idade seja entregue à família. “Vamos juntos garantir que nenhuma criança fique sozinha nesse momento difícil”, ressalta comunicado.

Em vídeo, Yasmim Seadi, uma das moderadoras da página, afirmou que o time que está por trás da iniciativa se preocupa com as implicações legais e de segurança ao divulgar as informações de menores.

“Temos uma advogada como especialista em LGPD para nos dar um respaldo legal em relação ao que estamos fazendo. Também conseguimos o respaldo governamental. Estamos trabalhando com o conselho tutelar para entendermos como faremos para esse projeto ser o mais seguro possível para as crianças”, explicou em vídeo.

O projeto é parecido com o Tô Salvo Canoas, que concentra informações sobre as pessoas recebidas sozinhas em abrigos no município em uma conta com mais de 150 mil seguidores. Apesar de não focar em crianças, o perfil também tem divulgado imagens de jovens e adolescentes com o intuito de encontrar os familiares dos resgatados.

Assim como o Achamos sua criança, o Tô Salvo Canoas ressalta a preocupação com a proteção de dados e de imagem nas redes sociais. Em publicação, o perfil afirma que as informações divulgadas seguem o “consentimento explícito das pessoas afetadas e são estritamente utilizados para fornecer assistência necessária”.

 

Propaganda
Advertisement