Search
Close this search box.
RIO BRANCO

GERAL

Setor de serviços registra queda no Acre, mas apresenta melhor desempenho nacional em 12 meses

Publicado em

O setor de serviços no Acre teve uma queda de 4,8% em abril em relação a março de 2024, o que representa a 5ª maior retração no país durante esse período. No entanto, quando analisado o acumulado dos últimos 12 meses, o Acre registra o melhor desempenho do Brasil, com uma expansão de 9,9%.

Em comparação com março de 2023, houve uma queda de 6,5% no volume de serviços no estado, de acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços divulgada pelo IBGE. Já a nível nacional, o setor de serviços teve um crescimento de 0,4% em relação a fevereiro, após uma queda de 0,9% no mês passado. Isso significa que o setor de serviços no Brasil está 12,1% acima do nível pré-pandemia, em fevereiro de 2020, mas ainda 1,5% abaixo do ponto mais alto da série histórica, registrado em dezembro de 2022.

Regionalmente, apenas 13 das 27 Unidades da Federação mostraram expansão no volume de serviços em março de 2024, em comparação com fevereiro de 2024. As maiores influências positivas vieram de São Paulo (1,1%), Rio de Janeiro (1,1%), Minas Gerais (1,2%) e Espírito Santo (5,1%). Por outro lado, Rio Grande do Sul (-3,6%), Mato Grosso (-7,6%), Distrito Federal (-4,0%) e Mato Grosso do Sul (-9,7%) exerceram as principais influências negativas no mês.

Continua depois da publicidade

Na comparação com março de 2023, a retração do volume de serviços ocorreu em 22 das 27 Unidades da Federação. São Paulo (-3,2%), Rio Grande do Sul (-7,2%), Mato Grosso (-14,3%), Mato Grosso do Sul (-16,4%), Goiás (-6,3%) e Ceará (-6,8%) foram os estados com os impactos negativos mais significativos, enquanto Rio de Janeiro (3,0%) e Minas Gerais (2,2%) lideraram os ganhos nesse período.

No acumulado do primeiro trimestre de 2024, em comparação com o mesmo período do ano anterior, houve expansão no volume de serviços em grande parte dos estados analisados. Destacam-se o Rio de Janeiro (4,0%) e Minas Gerais (4,4%), seguidos por Paraná (4,6%), Santa Catarina (5,5%) e Distrito Federal (9,0%). Por outro lado, São Paulo (-0,3%), Mato Grosso (-5,6%), Mato Grosso do Sul (-3,8%), Rio Grande do Sul (-0,8%) e Goiás (-1,9%) registraram as influências negativas mais importantes.

A análise dos dados mostra que, embora o setor de serviços no Acre tenha apresentado uma queda em relação ao mês anterior, ele ainda registra um desempenho robusto no acumulado dos últimos 12 meses. Isso é um indicativo da resiliência do setor e sua capacidade de se adaptar às adversidades econômicas.

Propaganda
Advertisement