Search
Close this search box.
RIO BRANCO

MUNDO

Aprovação de Biden entre latinos cai, e a de Trump melhora, diz pesquisa

Publicado em

A opinião dos latinos nos Estados Unidos sobre o presidente Joe Biden caiu de 53% em dezembro de 2021 parra para 41%, e o apoio ao ex-presidente Donald Trump subiu de 25% para 32%, segundo uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (9).

A pesquisa realizada nacionalmente entre 22 e 28 de março pelo instituto Ipsos e o portal Axios com 1.012 latinos maiores de idade para a rede de televisão americana em espanhol Telemundo, constatou que “a aprovação de Biden caiu, enquanto melhorou um pouco a do ex-presidente Trump”, virtual candidato do Partido Republicano para as eleições presidenciais de 5 de novembro, nas quais o atual mandatário concorrerá a um segundo mandato pelo Partido Democrata.

No entanto, os latinos em geral “veem Biden (47%) e Trump (56%) de forma desfavorável”.

Continua depois da publicidade

“Em quase todos os segmentos que pesquisamos, Trump se sai melhor do que o Partido Republicano e Biden, mas é visto pior do que o Partido Democrata em geral”, disse o pesquisador Chris Jackson, vice-presidente do Ipsos.

Em seu primeiro ano no cargo (2021), Biden estava à frente de Trump por 29 pontos percentuais. Porém, no último mês de março a margem de aprovação do democrata caiu nove pontos percentuais.

A pesquisa atribui a queda na aprovação de Biden provavelmente às “frustrações entre os latinos em relação a questões como a inflação”, embora, no geral, eles “ainda apoiem mais os democratas do que os republicanos”.

Perguntados sobre quem tem melhor desempenho na gestão da economia dos EUA, os latinos preferem Trump (42%) a Biden (20%).

Em questões de combate ao crime e segurança pública, Trump recebe 31% de apoio sobre Biden (20%). Biden tem melhor pontuação em questões relacionadas ao aborto (30%) do que Trump (21%).

Quando perguntados sobre qual partido é melhor para a economia dos EUA, 25% dos latinos favorecem o Partido Republicano, e 22% o Democrata.

Continua depois da publicidade

A pesquisa lembra que os latinos nos EUA são um dos grupos demográficos que mais crescem, algo que também se reflete em seu eleitorado; portanto, sua participação nessas eleições “terá peso em vários estados considerados chave, como Arizona e Nevada”.

A pesquisa Axios-Ipsos, em associação com a Telemundo, ressalta que a grande maioria dos entrevistados disse que preferiria que nem Biden (70%) nem Trump (66%) fossem os candidatos de seus respectivos partidos.

Medo de deportação

Mais da metade dos adultos latinos dos EUA entrevistados “temem” que as recentes propostas de “deportações em massa” os afetem, independentemente de sua situação imigratória.

Trump tem reiterado na campanha que realizará deportações em massa de imigrantes ilegais se retornar à Casa Branca.

No geral, 52% dos latinos ouvidos na pesquisa acreditam que as deportações em massa, se realizadas, também afetarão os imigrantes com status de residente legal e os latinos nascidos nos EUA.

Outro resultado indica que dois em cada três latinos “apoiam o fornecimento de um caminho para a cidadania americana para todas as pessoas que atualmente estão ilegalmente nos EUA (65%).

Da mesma forma, 59% apoiam “permitir que os refugiados que fogem do crime e da violência na América Latina solicitem asilo”.

Com relação à imigração irregular, 64% apoiam dar ao presidente a autoridade para fechar as fronteiras dos EUA “se houver muitos imigrantes tentando entrar no país”.

Nem todos os entrevistados estão aptos a votar. Entre os que irão às urnas, 31% disseram que planejam votar em Biden, e 28%, em Trump. Outros 28% não definiram a escolha.

Propaganda
Advertisement