Search
Close this search box.
RIO BRANCO

MUNDO

Diretora da OIM pede mais solidariedade com a Ucrânia

Publicado em

A diretora-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM), Amy Pope, pediu nesta sexta-feira (12) mais solidariedade com a Ucrânia, afirmando que 40% da população do país, ou seja, 14,6 milhões de pessoas, precisam de ajuda humanitária.

O número de pessoas que precisam de ajuda “continua a crescer a cada dia”, à medida que a guerra, iniciada com a invasão russa em fevereiro de 2022, entra numa fase prolongada, afirmou a diretora, em comunicado divulgado no fim de uma visita de cinco dias ao território ucraniano.

Só nas linhas da frente do combate com a Rússia, há mais de 3,3 milhões de pessoas, incluindo 800 mil crianças, que necessitam urgentemente de ajuda, de acordo com as estimativas da OIM, agência da Organização das Nações Unidas.

Continua depois da publicidade

Durante a viagem, Amy Pope visitou áreas fortemente danificadas, incluindo as cidades de Odessa e Mykolaiv, e prestou “homenagem à resiliência do povo ucraniano e aos esforços de recuperação liderados pelas autoridades locais e nacionais”, disse a organização na mesma nota, acrescentando que a diretora-geral está hoje em Kiev.

“Sinto-me inspirada e honrada pela força daqueles que conheci – mulheres que viajaram de regiões que estavam sob ataque ativo, que partiram com muito pouco além das roupas do corpo e os filhos no carro”, disse Pope, depois de ter se encontrado com pessoas deslocadas num abrigo apoiado pela OIM na cidade de Mykolaiv.

“As pessoas deslocadas e as comunidades de acolhimento precisam de ajuda urgente porque continuam a sofrer ataques de mísseis, destruição de infraestruturas e frequentes cortes de energia”, reiterou.

Nessa quinta-feira, numa mesa-redonda com doadores, a diretora-geral da OIM pediu à comunidade internacional para “manter o rumo na ajuda à Ucrânia e não virar as costas neste momento crítico”.

De acordo com o Plano de Resposta Estratégica da OIM para a Ucrânia e os Países Vizinhos, lançado em janeiro passado, a agência necessita de 1,4 bilhão de euros para ajudar a Ucrânia e 11 países da região durante os próximos três anos.

Só na Ucrânia, e para este ano, serão necessários cerca de 350 milhões de euros.

Continua depois da publicidade

A visita serviu também para um encontro com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dmytro Kuleba, e com a vice-primeira-ministra e ministra da Economia, Yulia Svyrydenko, com quem assinou acordos de cooperação bilateral para a reconstrução do país e revitalização econômica.

“Estamos gratos à OIM por ajudar as famílias ucranianas. Em primeiro lugar, com habitação. Esta é uma prioridade máxima para aqueles cujas vidas foram destruídas pela guerra”, afirmou Zelensky durante o encontro.

A guerra na Ucrânia começou em 24 de fevereiro de 2022, quando a Rússia lançou uma ofensiva militar com o pretexto de defender os territórios pró-russos e “desnazificar” o país.

A invasão russa foi condenada pela comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamentos para a Ucrânia e o reforço de sanções econômicas e políticas a Moscou.

Propaganda
Advertisement