Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍCIA

Condenação por Crime Brutal: homem recebe mais de 30 Anos de prisão por orquestrar assassinato do sócio

Publicado em

Uma trama sinistra de ganância e traição culminou em uma sentença implacável para um homem que arquitetou o assassinato de seu próprio sócio, o respeitado empresário Laércio Alves da Silva, em Ariquemes (RO). Motivado por desentendimentos na divisão de lucros e por uma dívida pendente, o réu foi condenado a mais de 30 anos de reclusão, em um veredicto que também culpou seus cúmplices nesse ato hediondo.

O crime inicialmente se apresentou como um latrocínio, uma vez que, além de ceifar a vida da vítima, os perpetradores subtraíram sua caminhonete e pertences, que permanecem desaparecidos até hoje. A estratégia dos suspeitos era dissimular o homicídio sob o véu de um roubo com violência, na tentativa de encobrir a verdadeira motivação por trás do ato brutal.

O fatídico episódio ocorreu em 7 de dezembro de 2017, nas vastas terras rurais de Ariquemes (RO). Laércio foi atraído até o local fatídico pelo próprio sócio, sob o pretexto de saldar uma dívida e inspecionar uma máquina escavadeira hidráulica que ambos compartilhavam nos negócios.

Continua depois da publicidade

A denúncia apresentada à Justiça revelou um plano meticuloso urdido pelos réus. O mandante contratou seus comparsas com a promessa de que poderiam apossar-se do veículo da vítima e de seus pertences pessoais. O envolvimento de menores de idade também lançou sombras sobre esse ato de crueldade.

Laércio foi brutalmente assassinado com disparos de arma de fogo e golpes na cabeça, seu corpo abandonado em uma remota estrada rural. A descoberta macabra foi feita por moradores locais que escutaram os tiros e avistaram uma caminhonete fugindo do local, fornecendo pistas cruciais para a investigação policial.

O julgamento dos acusados se estendeu por mais de 24 horas na Comarca de Ariquemes (RO), resultando nas seguintes penas:

-O mandante do crime recebeu uma sentença de 30 anos e 8 meses de reclusão, além de 1 ano de detenção;

-O primeiro cúmplice foi condenado a 30 anos, 4 meses e 29 dias de reclusão, somados a 10 dias de detenção;

-O segundo executor, que à época era menor de 21 anos, enfrentou uma pena de 26 anos e 8 meses de reclusão, acompanhados de 6 meses de detenção.

Continua depois da publicidade

Essa condenação severa reflete a seriedade e a gravidade desse ato de violência premeditada, que ceifou a vida de um indivíduo inocente e abalou a comunidade de Ariquemes. Justiça foi feita, mas as cicatrizes desse crime cruel permanecerão como um lembrete sombrio da fragilidade da vida e da traição humana.

Propaganda
Advertisement