Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍCIA

Detento suspeito de homicídio tem prisão relaxada pela justiça em Rio Branco

Publicado em

A justiça acreana relaxou a prisão do detento André Carlos da Silva Saldanha, acusado pelo homicídio de seu colega de cela, Oceu Rocha Martins, de 41 anos. A medida, aplicada em casos de prisão considerada ilegal, foi determinada pela juíza de plantão durante a audiência de custódia realizada na última quinta-feira, 30.

A decisão de não homologar o flagrante foi fundamentada pela falta do laudo cadavérico da vítima nos documentos iniciais da investigação, levando à relaxação da prisão de Saldanha. Após a audiência, o detento retornou ao presídio Antônio Amaro Alves, em Rio Branco, onde ele cumpre uma pena superior a 100 anos e já está detido há mais de 17 anos por diversos crimes, incluindo latrocínio.

A Polícia Civil do estado está trabalhando para concluir o inquérito policial relacionado ao caso em até 30 dias, visando esclarecer os detalhes do homicídio de Oceu Rocha Martins e determinar as responsabilidades no ocorrido.

Continua depois da publicidade

A relaxação da prisão de André Carlos da Silva Saldanha levanta questões sobre a legalidade do procedimento e destaca a importância dos trâmites legais e evidências sólidas em casos criminais. O desfecho desse caso continuará a ser acompanhado de perto pela justiça e pela sociedade.

A justiça acreana relaxou a prisão do detento André Carlos da Silva Saldanha, acusado pelo homicídio de seu colega de cela, Oceu Rocha Martins, de 41 anos. A medida, aplicada em casos de prisão considerada ilegal, foi determinada pela juíza de plantão durante a audiência de custódia realizada na última quinta-feira, 30.

A decisão de não homologar o flagrante foi fundamentada pela falta do laudo cadavérico da vítima nos documentos iniciais da investigação, levando à relaxação da prisão de Saldanha. Após a audiência, o detento retornou ao presídio Antônio Amaro Alves, em Rio Branco, onde ele cumpre uma pena superior a 100 anos e já está detido há mais de 17 anos por diversos crimes, incluindo latrocínio.

A Polícia Civil do estado está trabalhando para concluir o inquérito policial relacionado ao caso em até 30 dias, visando esclarecer os detalhes do homicídio de Oceu Rocha Martins e determinar as responsabilidades no ocorrido.

A relaxação da prisão de André Carlos da Silva Saldanha levanta questões sobre a legalidade do procedimento e destaca a importância dos trâmites legais e evidências sólidas em casos criminais. O desfecho desse caso continuará a ser acompanhado de perto pela justiça e pela sociedade.

Propaganda
Advertisement