Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍCIA

Homem desconfia da qualidade de combustível de posto em Rio Branco e aciona PM e Procon

Publicado em

O motorista Olímpio Honorato de Andrade, 48 anos, desconfiou que o carro estava com problema após o abastecimento neste sábado (18) e chamou a Polícia Militar no posto de combustível Cidade, localizado no bairro 7 BEC, em Rio Branco.

Segundo informações de Olímpio, ele parou para abastecer o carro dele, modelo Toyota Corolla, e colocou cerca de R$ 100 reais de etanol. Ao tentar voltar para a residência dele e ter percorrido 2 km com a gasolina que tinha acabado de colocar, o carro perdeu a potência e acendeu a lâmpada de injeção eletrônica no painel e começou a apresentar um barulho suspeito.

Inconformado com a situação e desconfiado da qualidade do combustível daquele posto, o consumidor retornou ao posto para pedir um teste de qualidade do combustível, amparado pela Resolução da ANP nº 9/2007. Segundo o motorista, os frentistas do estabelecimento se recusaram a realizar os testes argumentando que só o gerente tem a autorização de fazer.

Continua depois da publicidade

Após a negativa do frentista, Olímpio chamou a imprensa e várias emissoras de TV e sites de notícias para relatar os fatos. Minutos depois, o gerente chegou, colheu o combustível e prometeu processar os meios de comunicação que fizessem imagens dele, tentou em vista que o mesmo estava em uma área comercial e ele sendo o responsável legal pelo estabelecimento. O etanol foi recolhido e levado para o interior da administração do posto para fazer o teste escondido, e depois o gerente chamou o consumidor para ver o resultado, atitude que causou estranheza e desconfiança de Olímpio, que se negou a ir ver o resultado. “Eu não vou entrar lá, se eles querem fazer o teste escondido da imprensa é porque tem coisa”, afirmou o consumidor.

A PM foi chamada e a senhora Camila Lima, que é diretora Técnica do Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Acre (Procon), esteve no local. Os exames foram feitos no etanol retirado na bomba e o resultado apresentou que o combustível que está sendo vendida no posto de combustível estão em conformidade com as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Os testes apontaram também que a bomba de gasolina do posto estava jogando mais combustível dentro do tanque do que foi pago pelo cliente, beneficiando os compradores e deixando o prejuízo para o posto.

Feito todos os testes, o consumidor Olímpio Honorato ainda acredita que os problemas apresentados em seu veículo possam estar relacionado ao etanol abastecido no posto. “Ele tirou agora e deu tudo certo, mas quem me garante que na hora que eu abasteci estava incorreto? Vou levar meu carro na oficina e pedir um laudo”, concluiu.

Olímpio

A reportagem ainda tentou falar com o gerente do posto de combustível, mas ele não quis gravar entrevista nem se pronunciar sobre o assunto.

Propaganda
Advertisement