Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍCIA

Justiça do Acre nega habeas corpus a policial acusado de homicídio na Expoacre

Publicado em

Na tarde desta terça-feira, 20 de maio, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) rejeitou o pedido de habeas corpus e liberdade provisória ao policial penal Raimundo Nonato Veloso da Silva Neto, acusado do assassinato do jovem Wesley dos Santos, de 22 anos, e da tentativa de assassinato de Rita de Cássia da Silva, namorada do rapaz, durante a última noite da Expoacre em Rio Branco, em agosto de 2023.

A defesa de Raimundo Nonato alegou falta de fundamentação na decisão que negou a liberdade durante a audiência de instrução e julgamento, além de apontar um excesso de prazo para a conclusão do processo. No entanto, a relatora do processo, desembargadora Denise Bonfim, não se convenceu pelos argumentos apresentados e manteve a decisão de negar o recurso.

No mês passado, uma audiência de instrução e julgamento foi iniciada na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco para decidir se o réu seria julgado pelo Tribunal do Júri. A sessão foi suspensa a pedido do Ministério Público do Estado do Acre, e a defesa planeja entrar com outro pedido de liberdade após a conclusão da audiência, cuja data ainda será agendada. Até o momento, Raimundo Nonato Veloso permanece detido.

Continua depois da publicidade

Os crimes ocorreram em agosto do ano passado, quando, em estado de embriaguez, o policial penal atacou Wesley dos Santos e Rita de Cássia. Raimundo Nonato foi preso em flagrante, mas liberado no dia seguinte durante a audiência de custódia. A decisão da Câmara Criminal do TJAC mantém o policial penal sob custódia enquanto o processo segue em andamento.

Propaganda
Advertisement