Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍCIA

Justiça em Ação: acusados de duplo homicídio no Acre serão julgados em júri popular

Publicado em

A cidade de Rio Branco, no Acre, se prepara para um julgamento marcante, onde a justiça será colocada à prova. Mayke Wisley Oliveira dos Santos, conhecido como “Mutante”, e Roniscley Ribeiro da Silva enfrentarão o júri popular pelos atos hediondos cometidos contra José de Góes Ferreira, de 55 anos, e seu sobrinho, Natanael Góes Santos, de 34 anos. Os trágicos eventos ocorreram no Bar Fé em Deus, situado na BR-364, no bairro Albert Sampaio, Segundo Distrito de Rio Branco, em dezembro de 2023. A decisão de levar os acusados a julgamento partiu do Juiz Flávio Mariano Mundim, da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco.

Os réus enfrentam acusações graves, incluindo latrocínio, homicídio, roubos, porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas e associação a organização criminosa. O magistrado determinou a manutenção da prisão preventiva dos acusados, cuja captura ocorreu em uma residência no bairro Belo Jardim II, na região do Segundo Distrito de Rio Branco, realizada por policiais militares do 2° Batalhão no último dia útil do ano anterior.

O Juiz Flávio Mariano ressaltou a certeza da autoria dos crimes, baseada na detenção em flagrante dos réus no dia seguinte aos fatos, portando armas e objetos relacionados ao crime, além do reconhecimento e identificação por testemunhas. As vítimas, proprietárias de um bar e de um pequeno comércio, ambos localizados na mesma residência onde viviam com a família, incluindo o sobrinho, foram brutalmente atacadas pelos criminosos durante um assalto. José de Góes Ferreira foi assassinado a tiros diante de várias testemunhas, com o ato violento registrado pelas câmeras de segurança da Vila Albert Sampaio.

Continua depois da publicidade

O julgamento desses acusados promete trazer à tona a busca pela verdade e justiça em uma comunidade abalada pela tragédia. A esperança é que a decisão do júri popular traga algum conforto às famílias das vítimas e que a lei seja aplicada com rigor diante de tamanha violência.

Propaganda
Advertisement