Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍCIA

Operação da PF desmantela esquema de fraude na concessão de crédito de carbono no Acre e Amazonas

Publicado em

Nas primeiras horas desta quarta-feira, 5, a Polícia Federal deflagrou uma ampla operação visando desbaratar um esquema de fraude na concessão de crédito de carbono a multinacionais. Os mandados de busca e apreensão estão sendo executados em diversos estados, incluindo o Acre, Ceará, Paraná, Mato Grosso, São Paulo e Amazonas, este último sendo o epicentro das ações.

Um total de 76 empresários estão sendo alvos das diligências de busca e apreensão. A Operação Greenwashing tem como propósito desarticular uma organização criminosa suspeita de comercializar aproximadamente R$ 180 milhões em crédito de carbono proveniente de áreas da União invadidas ilegalmente.

O Modus Operandi

Continua depois da publicidade

A investigação revelou um intrincado esquema de fraudes fundiárias que se estendeu por mais de uma década, tendo início em Lábrea (AM). Esse esquema envolveu a duplicação e falsificação de títulos de propriedade, resultando na apropriação ilegal de cerca de 538 mil hectares de terras públicas.

No período de 2016 a 2018, a organização criminosa expandiu suas atividades ilícitas, recorrendo à reutilização de títulos de propriedade e à inserção de dados falsos no Sistema de Gestão Fundiária (SIGEF), contando com a colaboração de servidores públicos e responsáveis técnicos.

Nos últimos três anos, a investigação apontou para uma nova fase das atividades ilícitas do grupo, concentrada nas regiões de Apuí e Nova Aripuanã, ambas no Amazonas. As irregularidades identificadas incluem a emissão de certidões ideologicamente falsas por um servidor da Secretaria de Terras do Estado do Amazonas, sobreposição de registros e apropriação indevida de terras públicas.

Dentre as práticas ilegais detectadas estão a exploração florestal e pecuária em áreas protegidas, a criação de gado fictício para burlar restrições ambientais, a venda de créditos virtuais de madeira e obtenção de licenças ambientais fraudulentas.

A ação foi realizada em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, reforçando a importância da preservação ambiental e do combate a crimes contra a natureza.

Propaganda
Advertisement