Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍCIA

Policial acusado de homicídio na Expoacre enfrenta audiência no Tribunal do Júri

Publicado em

No Tribunal do Júri Popular da Cidade da Justiça em Rio Branco (AC), o policial penal Raimundo Nonato Veloso da Silva, sob custódia por acusação de atirar e matar o jovem Wesley Santos da Silva durante a Expoacre de 2023, enfrentará um interrogatório crucial nesta quarta-feira (3). Esta etapa faz parte dos preparativos para seu julgamento em júri popular, cuja data ainda está pendente de definição.

Veloso foi detido a pedido do Ministério Público do Acre (MP-AC) após reviravoltas judiciais relacionadas à sua liberdade provisória. Após a revogação da liberdade provisória pelo MP-AC em outubro do ano passado, a prisão preventiva foi decretada. Apesar da tentativa de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ) pela defesa, a medida não foi concedida.

Uma das testemunhas-chave do ocorrido é Rita de Cássia, namorada da vítima, que também foi alvejada pelo policial penal. As acusações contra Silva incluem homicídio, tentativa de feminicídio e importunação sexual contra a jovem. A decisão unânime da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça determinou que ele permaneça sob prisão preventiva devido à gravidade dos atos cometidos e ao impacto na ordem pública.

Continua depois da publicidade

O crime ocorreu durante a celebração do aniversário de 20 anos de Wesley Santos da Silva na Feira Agropecuária. Segundo relatos, o tumulto começou quando policiais militares intervieram no encerramento de uma festa em um bar, resultando nos disparos que feriram mortalmente Wesley e Rita.

Os depoimentos indicam que o policial penal, embriagado, teve comportamento inadequado e agressivo no evento, culminando nos trágicos eventos que levaram à morte de Wesley e aos ferimentos sofridos por Rita. Com o avanço do caso para julgamento pelo Tribunal do Júri Popular, a justiça busca esclarecer os acontecimentos e buscar a responsabilização adequada.

Propaganda
Advertisement