Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍCIA

“Saudade”, postou fisiculturista antes de ser preso por agredir mulher

Publicado em

O fisiculturista preso, na última sexta-feira (17/5), suspeito de espancar a companheira, levá-la ao hospital inconsciente e dizer que ela havia caído em casa, fez uma publicação após ela ser internada afirmando que estava com “saudade” da mulher.

“A saudade e a angústia que não acaba mais. Você tem que voltar logo”, escreveu.

O caso ocorreu em Aparecida de Goiânia (GO), na região metropolitana da capital. A mulher, de 31 anos, deu entrada no hospital no último dia 10.

Segundo a Polícia Civil de Goiás, o estado de saúde da vítima é gravíssimo. Ela está em coma, internada há mais de uma semana numa unidade de terapia intensiva (UTI).

Continua depois da publicidade

Investigação

O caso é investigado pela delegada Bruna Coelho, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Aparecida de Goiânia.

Segundo a investigadora, o hospital entrou em contato com a polícia após desconfiar da versão do suspeito.

“O hospital entrou em contato com a delegacia informando que são múltiplas lesões, o que não é condizente com uma queda. Ela teve traumatismo craniano dos dois lados da cabeça e na base do crânio, fraturou a clavícula, oito costelas e teve várias escoriações pelo corpo”, disse a delegada, em entrevista à TV Anhanguera.

Bruna Coelho acredita que o suspeito espancou a mulher e a levou para o hospital: “Ele disse para a equipe médica que ela estava limpando a casa quando escorregou e caiu. Segundo ele, ela convulsionou e as lesões foram causadas pela queda. Então, ele deu um banho nela e a levou para o hospital, onde, de imediato, ela foi levada para uma cirurgia e depois para a UTI”.

Histórico de violência doméstica

A investigação da polícia descobriu que o fisiculturista tem histórico de violência doméstica.

“Nós investigamos o passado dele e ele tem antecedentes de Maria da Penha contra uma ex-namorada e contra a atual. Teve um inquérito por lesão corporal por murros, socos e chutes”, disse a delegada.

Continua depois da publicidade
Propaganda
Advertisement