Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍTICA

“Encantou gerações”: políticos repercutem a morte de Ziraldo

Publicado em

O cartunista Ziraldo morreu neste sábado (6/4), aos 91 anos. As informações iniciais são de que ele morreu dormindo por volta das 15h.

Depois do anúncio de sua partida, políticos se manifestaram nas redes sociais e ofereceram condolências à família do criador do universo de O Menino Maluquinho.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), descreveu Ziraldo como “Ídolo de uma geração de crianças”. Apontou ainda o artista como “um dos maiores cartunistas do país, inspiração para todos os brasileiros”, dando destaque ao fato de ser natural de Caratinga (MG), mesmo estado que o político.

Continua depois da publicidade

Ministros lamentam morte de Ziraldo

O ministro da Educação, Camilo Santana (PT), lembrou a relação de Ziraldo com o jornal de humor e resistência política O Pasquim nos anos 1960. “Ele deixa um legado imenso à cultura brasileira”, destacou.

O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Paulo Pimenta (PT), foi um dos primeiros: “Suas histórias marcaram a infância de muitos e continuam a encantar gerações”, disse em um tuíte ao prestar sua solidariedade à família.

A ministra dos Povos Indígenas Sonia Guajajara (PSOL) deu especial destaque à Turma do Pererê, que tinha entre seus protagonistas o indígena Tininim. “Primeira HQ totalmente colorida do Brasil. A literatura brasileira perde muito, mas o legado de Ziraldo seguirá vivo e influenciado mais e mais pessoas”, diz.

O ministro das Relações Institucionais Alexandre Padilha (PT) também fez uma homenagem ao cartunista lembrando a atuação dele na saúde. “Ziraldo teve teve contribuição fundamental para cultura brasileira e participou em diversas campanhas do Ministério da Saúde”, destacou.

Políticos também fizeram homenagens

O deputado federal e pré-candidato a prefeito de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL) afirmou que “o Brasil perdeu um pouco de seu humor” e que Ziraldo era “um ser humano fora de série”.

Eduardo Paes (PSD), prefeito do Rio de Janeiro, cidade onde Ziraldo vivia, também lamentou em uma postagem no X: “Nos deixou mais um dos grandes mineiros cariocas. Obrigado por tudo. O Rio vai sentir muito sua falta!”.

Continua depois da publicidade

Na mesma rede social, o deputado Federal e ex-ministro do Esporte Orlando Silva (PCdoB) classificou o cartunista como “um gigante da nossa cultura”. A deputada federal Benedita da Silva (PT) também lamentou: “Que Deus o receba de braços abertos. Ziraldo, presente!”.

“Quanta história, quanta luta, quantas crianças fez sonhar com o inesquecível Menino Maluquinho”, resumiu o economista Ciro Gomes (PDT), apontando ter tido a sorte de conviver com o artista de perto.

A deputada federal Duda Salabert (PDT) disse que “Ziraldo foi um dos escritores que melhor traduziu a mineiridade, com seus encantos , lirismos e contradições. Descansou o artista. Mas sua obra segue viva”.

Nas redes sociais, o senador mineiro Carlos Viana (Podemos) lembrou as origens do cartunista. “O mineiro de Caratinga tinha 91 anos e construiu uma história admirável. Deixa uma coleção de obras literárias”.

Outra parlamentar a lamentar a morte de Ziraldo foi a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) dando destaque a exemplos de sua irreverência e de seu traço marcante nos desenhos. “Jamais deixou de lado o espírito crítico, a coragem e o bom humor, três condições inescapáveis para quem teve que enfrentar uma ditadura”, apontou.

Parlamentares do PSOL destacam criação do símbolo do partido

O deputado Ivan Valente (PSOL) destacou a atuação política de Ziraldo. “Foi resistência nos tempos do Pasquim e encheu livros e telas com personagens inesquecíveis como Pererê, Menino Maluquinho e tantos outros”, escreveu.

“Todo o Brasil vai sentir falta de Ziraldo”, disse a deputada federal Talíria Petrone (PSOL). Sua colega de bancada Sâmia Bonfim descreveu o cartunista como “um grande artista com contribuições fundamentais para a cultura brasileira” e lembrou que Ziraldo foi o criador do sol que é a marca do partido.

O fato da criação do símbolo do PSOL também destacado pela vereadora do Rio de Janeiro Luciana Boiteux e pelo deputado federal Pastor Henrique Vieira, ambos do partido. Este último ressaltou em comunicado a contribuição inestimável de Ziraldo à cultura brasileira. “Triste a perda de Ziraldo, um ícone da arte e da resistência”.

Propaganda
Advertisement