Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍTICA

“Esse chicote do governador Gladson está doendo nas nossas costas”, diz presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Acre

Publicado em

Após manifestações, audiências públicas, reivindicações e uma reunião com o governador Gladson Cameli, os policiais civis, através do Sinpol, retornaram à Assembleia Legislativa do Acre na manhã desta quarta-feira, 29, para novamente cobrar as promessas não cumpridas.

Há meses, a Operação Padrão, da Polícia Civil, tem mostrado as deficiências e problemas na gestão da Polícia Civil, e a categoria até agora não teve nenhum retorno positivo por parte do governo.

Rafael Diniz, presidente do Sindicato dos Policiais Civis, foi convidado a ir ao centro do plenário, na Aleac, após a sessão ordinária, para falar sobre o andamento dos posicionamentos do governo para com a categoria. Ele manifestou preocupação em relação à falta de interesse de Gladson Cameli, referente às promessas feitas à categoria que não foram cumpridas até o presente momento.

Continua depois da publicidade

“Desde 2019 que as falas são as mesmas para base da Polícia Civil, e esse chicote do governador Gladson Cameli, ele tá batendo doído, doído na nossas costas, temos cargos na Polícia Civil, querendo ou não já foram contemplados alguns, verba indenizatória (por exemplo), porém para esses homens e mulheres que fazem a roda girar. Infelizmente ou felizmente, o próprio governador nos ligou, passamos uma tarde conversando com ele e ele se comprometeu a verificar e que nós levássemos as prioridades da base da Polícia Civil, que ele ia sanar o que fosse possível. Até aí tudo bem, o problema é que se passou dois meses e nada de concreto veio, nem mesmo atendeu mais os nossos expedientes. A nossa ideia da operação padrão é construir esse caminho de diálogo não é criar barreiras, a gente vem desde 2019, enquanto policiais civis, sofrendo, mas mesmo assim essa categoria vem pacientemente acompanhando e não veio nenhum retorno por parte do governador Gladson Cameli”, disse Rafael.

A categoria espera que os deputados possam, mais uma vez, intervir e construir, junto ao governo, propostas positivas para a categoria

Propaganda
Advertisement