Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍTICA

Gladson Cameli se torna réu em suposto esquema de corrupção, mas não será afastado de cargo

Publicado em

A denúncia do Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da Operação Ptolomeu III, no caso Murano, contra o governador do Acre, Gladson Cameli, foi acolhida pelos ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) durante julgamento na tarde desta quarta-feira (15). Assim, o governo torna-se réu no processo.

Na denúncia apresentada em novembro do ano passado, a Procuradoria-Geral da República (PGR) acusa Gladson Cameli de peculato, corrupção, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa. Segundo o órgão, o governador liderou um esquema de fraudes em licitações para obras públicas no Acre, causando um prejuízo de pelo menos R$ 150 milhões aos cofres do estado.

A ministra Nancy Andrighi aceitou todas as denúncias, renovou as medidas cautelares contra Cameli por um ano e decretou a indisponibilidade de seus bens, porém, negou o afastamento do governador, dizendo que “não é extemporâneo aos fatos”. O ministro revisor, Otávio de Noronha, acompanhou o voto de Nancy Andrighi.

Continua depois da publicidade

Após a decisão, o advogado de Gladson Cameli, Pedro Ivo Velloso, afirmou que o governador é vítima de perseguição por parte da Polícia Federal (PF). “O fato é que até o momento Gladson Cameli não foi chamado pela Polícia Federal para prestar qualquer esclarecimento. É nítido o ato de perseguição. A Polícia Federal requisita relatórios do COAF, da esposa do governador, filho do governador de seis anos e das empresas do governador. Direcionamento abusivo e ilegal. Com a deflagração da operação, é imposta ao governador uma série de medidas, por ele religiosamente cumpridas”, disse Ivo.

“A Polícia Federal busca aplicar quase uma intervenção branca. Os seus bens foram bloqueados e, repito, o governador Gladson jamais foi ouvido. Eis que vem essa denúncia, uma denúncia de 179 páginas, que segue aquela estratégia de aquecer o processo que tanto afligiu o nosso país. Tempos recentes, os tempos da operação Lava Jato”, finalizou o advogado.

Veja a nota do governador:

“A justiça cumpriu o seu papel e agora terei a oportunidade de me defender e provar minha inocência e idoneidade”. A afirmação foi feita na tarde desta quarta-feira, 15, pelo governador Gladson Cameli, logo após os ministros que integram o Superior Tribunal de Justiça terem, negado seu afastamento do mandato.

“Essa foi a primeira vez que estou sendo oficialmente ouvido, sigo confiando na justiça”, destaca Cameli.

Gladson Cameli, governador do Estado do Acre

Propaganda
Advertisement