Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍTICA

“Gladson não confia em sua base e defende acusados com notas de esclarecimentos”, diz Michelle Melo sobre caso de diretor do Iapen

Publicado em

Após a repercussão na Assembleia Legislativa, onde na sessão anterior policiais penais relataram humilhações e ameaças durante uma reunião com o diretor do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), Alexandre Nascimento, o requerimento solicitando a presença do diretor para esclarecer as denúncias feitas pelas servidoras foi negado.

O requerimento, de autoria da deputada Michelle Melo, foi rejeitado pelos colegas deputados, inclusive pelo policial penal e deputado Arlenilson Cunha, que inicialmente se declarou contrário a qualquer ato dessa natureza contra as servidoras. Alegou-se que será realizado um chamamento ao diretor, o que tornaria desnecessária a convocação. O chamamento é uma espécie de convite em que o diretor pode ou não comparecer à Assembleia Legislativa para prestar esclarecimentos e ficar à disposição dos deputados para tirar dúvidas.

Durante a votação, a autora do requerimento, assim como o deputado Edvaldo Magalhães, manifestaram-se repudiando a postura da base do governo, que, segundo eles, nunca aprova nenhum tipo de requerimento da oposição para que qualquer secretário ou diretor do governo compareça à Assembleia. Casos semelhantes já ocorreram com o diretor geral Henrique Maciel e o secretário de Saúde Pedro Pascoal.

Continua depois da publicidade

Em resumo, a deputada Michelle Melo afirmou que o governador Gladson Cameli não confia em sua base e apoia os denunciados emitindo notas em seu favor, ignorando as denúncias das vítimas.

“É com muita tristeza que recebemos a rejeição desse requerimento. Isso era uma forma de empoderar essas mulheres e mostrar que o poder legislativo estava ao lado delas. Mas, parafraseando o Secretário, isso demonstra a falta de confiança do governo em sua própria base”, disse Michelle.

O deputado Eduardo tentou esclarecer que no chamamento o diretor comparecerá à Assembleia Legislativa e poderá ser questionado por todos os deputados. Mas, caso ele não compareça, aí sim será feito um requerimento. Ou seja, no chamamento, Alexandre não tem obrigação de comparecer. Isso lembra uma frase sempre dita por Michelle Melo sobre o tratamento dado por Gladson Cameli aos seus secretários e diretores: “Aos amigos do rei, as benesses; aos inimigos, o rigor da lei”. Agora, resta aguardar o dia 29 de abril para saber se Alexandre Nascimento comparecerá ao plenário da casa do povo.

Propaganda
Advertisement