Search
Close this search box.
RIO BRANCO

POLÍTICA

Lula assegura apoio federal para reconstrução de estradas no Rio Grande do Sul após enchentes

Publicado em

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assegurou no último domingo (5) que o governo federal fornecerá apoio para a reconstrução das estradas afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul, incluindo aquelas sob a administração do estado. Acompanhado por uma comitiva de representantes dos Três Poderes, Lula afirmou que os recursos estão garantidos e prometeu simplificar os processos burocráticos para agilizar as obras.

Durante um pronunciamento após sobrevoar a região metropolitana de Porto Alegre, o presidente Lula expressou compreensão em relação à difícil situação financeira do estado e à extensão dos danos nas estradas. Ele enfatizou o compromisso do governo federal, por meio do Ministério dos Transportes, em auxiliar na recuperação das rodovias estaduais. Além disso, Lula instou as autoridades a adotarem abordagens preventivas para mitigar o impacto de eventos climáticos extremos, destacando a importância de antecipar e prevenir desastres em vez de apenas reagir a eles.

Essa foi a segunda visita de Lula ao Rio Grande do Sul desde o início das enchentes. Na quinta-feira (2), o presidente esteve em Santa Maria, na região central do estado, para acompanhar as operações de resgate e assistência às vítimas.

Continua depois da publicidade

O ministro da Integração Nacional, Waldez Góes, presente na reunião, informou que os governos federal e estadual estão colaborando com as prefeituras de regiões como o Vale do Taquari para restabelecer serviços à medida que as águas começam a recuar. No entanto, ele ressaltou que a prioridade continua sendo o resgate de pessoas isoladas.

Após liderar a reunião de autoridades federais com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, e outros prefeitos gaúchos, Lula proferiu um discurso destacando a importância da união e da prontidão para enfrentar os desafios decorrentes das enchentes.

Com a situação se agravando no estado, Eduardo Leite alertou sobre o risco iminente de desabastecimento e colapso em diversas áreas. Ele enfatizou a necessidade urgente de retomar as atividades industriais após o resgate das vítimas, dada a significativa influência econômica do estado.

Por sua vez, Sebastião Melo solicitou uma rápida alocação de recursos aos municípios para iniciar prontamente os esforços de reconstrução. Ele destacou a escassez de recursos essenciais na capital e ressaltou que o problema é ainda mais grave nas áreas rurais.

Até o meio-dia de domingo, 5, o Rio Grande do Sul contabilizava 75 mortes, 155 feridos e 103 pessoas desaparecidas, com um total de 781 mil residentes afetados pelos temporais.

Propaganda
Advertisement