Search
Close this search box.
RIO BRANCO

RIO BRANCO

Acreano sequestrado reencontra mãe após 34 anos de separação

Publicado em

Após 34 anos de separação, um emocionante reencontro marcou a vida de Francisco Josenildo da Silva Marreira Tigre, um acreano que foi sequestrado em um esquema de tráfico de crianças aos 11 anos de idade e finalmente reencontrou sua mãe biológica, Iraci Feitosa da Silva.

A trajetória de Francisco, inicialmente conhecido como Josenildo, foi marcada por desafios e incertezas desde o momento em que saiu de casa para vender quibe de arroz na rodoviária de Rio Branco, em 1987. Após a trágica perda de seu pai, um Policial Militar assassinado em 1983, Josenildo foi abordado por uma mulher desconhecida que o levou a uma jornada que o separou de sua família e o levou a ser adotado por uma família em Florianópolis, Santa Catarina.

Anos de busca e adaptação se seguiram para Francisco, que enfrentou inúmeras dificuldades ao tentar reconstruir sua história e encontrar suas raízes. Enquanto isso, sua mãe biológica, Iraci, nunca perdeu a esperança e continuou procurando por ele incansavelmente.

Continua depois da publicidade

Após decidir iniciar uma busca ativa por sua família biológica, Francisco teve um encontro emocionante com sua tia materna, Clarice, que o reconheceu como o sobrinho desaparecido. O reencontro com Iraci foi marcado por intensa emoção e alívio, culminando em um exame de DNA que confirmou o laço de parentesco.

Agora, Francisco Josenildo da Silva Marreira Tigre vive ao lado de sua mãe biológica, abraçando a oportunidade de um novo começo e celebrando a união familiar restaurada. Sua jornada de busca por identidade e pertencimento finalmente encontrou um desfecho emocionante e reconfortante, reafirmando a importância da esperança, da perseverança e do amor familiar.

Propaganda
Advertisement