Search
Close this search box.
RIO BRANCO

RIO BRANCO

Desmoronamento compromete ETA II e agrava falta de água em Rio Branco

Publicado em

A população de Rio Branco enfrenta mais uma vez problemas com o abastecimento de água devido a um desmoronamento de terra que comprometeu a estrutura da Estação de Tratamento de Água II (ETA II). Com isso, a captação e distribuição de água foram prejudicadas, agravando a situação já enfrentada pelos moradores nas últimas semanas.

Há cerca de um mês, a distribuição de água na capital foi reduzida devido à cheia do Rio Acre, que afetou as estações de tratamento I e II. Após a conclusão das manutenções, a captação e distribuição foram restabelecidas, mas agora a ETA II volta a apresentar problemas estruturais.

A região da estação tem enfrentado situações de emergência devido à instabilidade do solo, que comprometeu uma subestação e afetou uma nova estrutura. O diretor-presidente do Serviço de Água e Esgoto de Rio Branco (Saerb), Enoque Pereira, explicou que o solo na ETA II é instável e a estrutura já foi retirada do local anteriormente por esse motivo. Com a estrutura comprometida, a captação de água está em pré-colapso.

Continua depois da publicidade

O abastecimento foi paralisado desde a manhã de segunda-feira (1º) e a expectativa é de normalização nesta terça-feira (2). No entanto, a situação é preocupante, pois 62% da população de Rio Branco depende da ETA II para o abastecimento de água. Enquanto a ETA I continua operando normalmente, produzindo água para as demais regiões, a ETA II, que tem capacidade de produção de mil litros, está com a produção zerada.

Enquanto equipes do Saerb buscam soluções emergenciais, como a mudança da captação para a ETA I, uma área mais segura e estável, o diretor ressaltou a necessidade de recursos para realizar essa mudança, que é de alto custo. O estado de situação de emergência será decretado, uma vez que essa é a quarta vez que a situação se repete na captação de água.

A avaliação da Defesa Civil Municipal mostrou que o desmoronamento foi causado pela rápida vazão do nível do Rio Acre, que baixou mais de 13 metros em menos de um mês. O coordenador da Defesa Civil, tenente-coronel Cláudio Falcão, ressaltou a importância de buscar soluções viáveis para garantir o abastecimento de água para Rio Branco diante dessas situações recorrentes.

Enquanto a população aguarda a normalização do abastecimento de água, a preocupação com a falta de recursos e a necessidade de soluções a longo prazo se tornam ainda mais urgentes.

Propaganda
Advertisement