Search
Close this search box.
RIO BRANCO

RIO BRANCO

Tragédia aérea no Acre: Pai de vítima exige medidas contra aviões clandestinos

Publicado em

Foto: Whidy Melo/Ac24horas

Em um triste domingo de despedida, familiares e amigos se reúnem para velar o corpo de Suanne Lostanaud Camello, vítima fatal de um trágico acidente aéreo em Manoel Urbano, no interior do Acre. A jovem de apenas 30 anos nos deixou no último dia 27, após lutar bravamente pela vida em um hospital especializado no Amazonas.

Seu pai, Francisco Ferreira Chaves, compartilhou a dor profunda que a família está enfrentando. Ele descreveu o impacto devastador que a aeronave, que estava acima da capacidade permitida, teve sobre sua filha. Suanne sofreu fratura na bacia e deslocamento da perna direita, ficando inconsciente imediatamente. “Talvez por isso ela tenha sofrido tantas queimaduras, pois Matheus [esposo de Suanne] e outro passageiro tiveram que resgatá-la do avião sozinhos. Talvez, se ela estivesse consciente e capaz de se ajudar, ela ainda estaria entre nós”, disse Francisco. Apesar dos esforços de reanimação no local, Suanne nunca recobrou a consciência.

Quando questionado sobre quem ele acredita ser responsável pelo acidente, Francisco Ferreira ressaltou que, para o caso de sua filha, isso não importa mais. No entanto, ele enfatizou a importância de estabelecer um exemplo de penalidade para impedir que voos clandestinos continuem colocando em risco a vida de passageiros no interior do estado. “Esse tipo de voo com aviões clandestinos é comum, até mesmo policiais utilizam essas aeronaves para se deslocar entre municípios, e ninguém faz nada a respeito. Minha filha perdeu a vida, e agora dinheiro, punição, nada disso importa para mim, pois tudo o que eu queria era tê-la de volta. No entanto, acredito que esse tipo de transporte precisa ser interrompido, isso precisa acabar”, expressou Francisco com convicção.

Continua depois da publicidade

Com a trágica perda de Suanne Lostanaud Camello, uma filha de apenas 7 anos fica órfã, e está a caminho do velório. Francisco espera encontrar as palavras certas para explicar à criança, com calma e delicadeza, que sua mãe partiu para um lugar melhor.

Propaganda
Advertisement