Search
Close this search box.
RIO BRANCO

GERAL

Exposição homenageia trajetória de mulheres na saúde

Publicado em

A exposição Dona Ivone Lara e Mulheres da Saúde, inaugurada nesta terça-feira (23), no Ministério da Saúde, em Brasília, tem como proposta enaltecer o legado de trajetórias femininas importantes para a construção da saúde pública no Brasil. Durante o evento, foi lançado ainda o Espaço Cultural Dona Ivone Lara, sambista carioca, enfermeira e antiga servidora do ministério.

Brasília (DF), 23/04/2024, A ministra da Saúde, Nísia Trindade, inaugura o Espaço Cultural Dona Ivone Lara, na sede do ministério. A sambista dedicou 37 anos de sua vida em defesa de tratamentos humanizados nos serviços psiquiátricos. A exposição retrata a vida da cantora, com homenagens e o reconhecimento ao legado das mulheres na saúde.  Foto: Jose Cruz/ Agência Brasil
A ministra da Saúde, Nísia Trindade, inaugura o Espaço Cultural Dona Ivone Lara. A exposição retrata a vida da cantora, com homenagens e o reconhecimento ao legado das mulheres na saúde. Foto: Jose Cruz/ Agência Brasil

Estruturada como um desfile de escola de samba, a exposição apresenta as origens e o ambiente familiar da trajetória de Ivone Lara na saúde e em sua carreira musical, com enfoque em composições, parcerias e participações na agremiação Império Serrano, escola de samba do Rio de Janeiro. A sambista dedicou 37 anos de sua vida em defesa de tratamentos humanizados nos serviços psiquiátricos.

Foram homenageadas, ainda, outras 10 mulheres negras, brancas e indígenas cujas trajetórias marcaram a história da saúde pública brasileira, incluindo as enfermeiras Wanda Horta, Roseni Rosangela de Sena, Anna Nery, Simone Maria Leite Batista, Isabel dos Santos e a médica Fatima Oliveira.

Continua depois da publicidade

Em maio, a exposição terá uma segunda etapa, que vai celebrar a trajetória de mulheres vivas e atuantes.

Quem foi Ivone Lara

Consciência Negra: coletivo destaca trajetórias de servidoras pretas. - Consciência Negra: coletivo destaca trajetórias de servidoras pretas. - Da. Ivone Lara.  Foto: Acervo Ivone Lara/Divulgação
Sambista Done Ivone Lara dedicou 37 anos de sua vida em defesa de tratamentos humanizados nos serviços psiquiátricos. Foto: Acervo Ivone Lara/Divulgação 

Primeira mulher brasileira a assinar um samba-enredo, Ivone Lara (foto) era enfermeira por formação e atuou como servidora do Ministério da Saúde por 37 anos, período em que se especializou como terapeuta ocupacional e lutou pela humanização do tratamento psiquiátrico. No Instituto de Psiquiatria do Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, foi pioneira ao oferecer uma abordagem musical para tratar e acolher pacientes.

Em 2024, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou lei que cria o Dia Nacional da Mulher Sambista, comemorado em 13 de abril – data do nascimento de Ivone Lara da Costa, nome de batismo da compositora. Ela morreu em 2018 aos 96 anos.

Propaganda
Advertisement

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply